Educação

Como ajudar os nossos filhos a aprender em casa

Out 2020
Para aprenderem em casa, os nossos filhos têm que desenvolver uma atitude responsável e autodidata.
Para aprenderem em casa, os nossos filhos têm que desenvolver uma atitude responsável e autodidata.

Como pais, formamos parte da comunidade educativa e, por esse motivo, temos que pensar como ajudar os nossos filhos a que aprendam em casa nesta fase que vivemos. É necessário refletir sobre qual deve ser o papel das mães e dos pais, como podemos motivar os nossos filhos para que não percam a vontade de aprender e qual é a melhor maneira de transmitir-lhes uma atitude responsável e autodidata para que aprendam sem limites.

Aprender sem limites com uma mentalidade autodidata

«Pode obrigar-se uma criança a estudar até um certo limite, mas o potencial de crescimento mediante a aprendizagem autodidata é infinito» (Toru Kumon).

O autodidatismo é a capacidade de aprender por si mesmo. Sergio Flores García, reconhecido professor de Física e Matemática, define o autodidatismo como «a capacidade de uma pessoa se conformar consigo mesma, permitindo assim que cada um se converta no seu próprio professor e possa adquirir conhecimentos com interesse a partir dos estímulos que estejam disponíveis».

Se o nossos desejo como pais é criar crianças felizes que se tornem adultos felizes, devemos acompanhá-los nesse caminho que os levará a pensar por eles próprios e cultivar uma mentalidade autodidata que os ajuda a conhecerem-se a si próprios, a melhorar as suas habilidades e a pensar em desafios e superá-los sozinhos.

Como ajudar os nossos filhos a aprender em casa

Para ajudarmos os nossos filhos a aprenderem por eles próprios e cultivarem neles uma mentalidade autodidata, devemos seguir os seguintes conselhos:

Ser pacientes. Devemos prestar atenção à sua comunicação verbal e não verbal, às suas emoções, e ter em conta estes fatores no momento de formular as nossas hipóteses. 

Calçar os seus sapatos. Se nos colocarmos no lugar dos nossos filhos, iremos entender como se sentem, e poderemos fazer com que sejam capazes de avaliar o seu próprio processo de aprendizagem e a que pensem como melhorá-lo.

Dar a valor ao seu esforço, não ao resultado. Se nos centrarmos na sua forma de aprender e não nas suas notas escolares, iremos reforçar a sua autoestima e ajudar a que encontrem um ponto de melhoria; ou seja, a ver os erros como oportunidades de aprendizagem, os quais levam ao autodidatismo.

Pensar em desafios adequados. Os desafios devem ser concretos e de uma dificuldade adequada: nem muito ambiciosos que possam gerar frustração nem tão simples que provoquem desmotivção. Além disso, é aconselhável que os possam alcançar em pouco tempo para que o interesse não se diluía. Enfrentar desafios à medida das suas capacidades permitirá aos nossos filhos experenciar a sensação de logro ao superá-los. Desta forma, reforçaremos a sua autoestima e aumentamos assim a sua vontade de seguir aprendendo e converterem-se em pessoas plenamente autodidatas.

Se queres que o teu filho desenvolva ao máximo o seu potencial de aprendizagem e se torne uma pessoa autodidata, capaz de aprender por ela própria sem limites, não duvides em contatar connosco e aproveitar a nossa promoção de matrícula grátis.