Educação

Como conseguir que superem o próximo ano letivo

Set 2021
Os teus filhos estão preparados para enfrentar o próximo ano letivo?
Os teus filhos estão preparados para enfrentar o próximo ano letivo?

Começa um novo ano letivo e as famílias estão cada vez mais conscientes de que o mais importante não são as notas, mas tudo o que se aprende neste processo. Como podes fazer com que os teus filhos mantenham uma atitude positiva em relação à aprendizagem, para que possam superar o ano letivo? Neste artigo damos-te a resposta

Estamos a tornar os nossos filhos bons estudantes?

Para passar o ano letivo, o mais valioso é a atitude do aluno em atingir os seus objetivos, promover a cultura do esforço e da motivação e saber desfrutar do processo de aprendizagem, já que formar bons alunos não depende tanto das suas habilidades intelectuais, mas sim da atitude que mantêm nos estudos.

1. Começar desde pequenos

O estudo e a aprendizagem dependem das capacidades e habilidades que podem ser estimuladas desde a mais tenra idade nos nossos filhos: atenção, memória, perseverança ... Podemos também incutir neles hábitos relacionados com aspectos académicos desde cedo, pois sabemos que o seu cérebro tem maior capacidade de aprendizagem e adaptação. Cuidar do seu desenvolvimento desde a infância irá ajudar a adquirir uma base sólida para continuar a crescer nas próximas etapas escolares.

Se, desde pequenos, despertarmos neles o gosto pela aprendizagem e lhes proporcionarmos recursos para que tenham autonomia na aprendizagem, obterão bons resultados académicos.

No Kumon vivemos essa experiência diariamente com os nossos alunos; Por isso, estamos convictos de que é imprescindível que as crianças se sintam capazes de fazer por si próprias, e isso só se consegue proporcionando a cada aluno uma educação personalizada ao seu nível, estabelecendo objectivos específicos e, ao mesmo tempo, promovendo a sua autonomia, confiança e auto-estima.

2. Desfrutar a aprender e poder fazer sozinho

Uma parte importante do ano letivo são os trabalhos de casa, que servem de “desculpa” para aumentar a concentração, a planificação, a capacidade analítica, a memória e, acima de tudo, a autonomia dos nossos filhos. A motivação para fazer os trabalhos de casa durante o ano letivo não deve ser encontrada na ação de completar uma tarefa, mas na oportunidade de aprender e ganhar autonomia nas habilidades escolares.

O nosso papel deve ser sempre o de acompanhá-los e orientá-los. Podemos dar-lhes ideias para que tomem a decisão final, mas nunca decidir por eles, estimulando o pensamento crítico e confiando neles, estaremos assim a potenciar a sua autonomia e a sua confiança no que fazem, dizem e pensam.

3. Enfrentar-se a um teste

A hora dos testes e dos exames é muito stressante para os nossos filhos. Certamente é uma das primeiras experiências em que enfrentam os seus medos sozinhos. Esta é uma situação em que um está a ser avaliado e sentir medo e ansiedade é normal. O ideal é transmitir que confiamos nos seus recursos e que eles estão simplesmente a fazer isso, uma prova, nem mais, nem menos.

4. O erro faz parte da aprendizagem

Não cometer erros durante o ano letivo é um erro em si mesmo. Se os nossos filhos se habituarem a não cometer erros, não saberão como lidar com a frustração de cometer um erro. Quanto mais cedo eles cometerem erros e entenderem que o erro faz parte do processo, mais cedo aprenderão a aceitá-lo.

É importante estar ciente de que o exame é um dos muitos testes e situações em que nossos filhos se sentirão avaliados não só durante o ano letivo, mas também ao longo da vida. Por isso, interpretar o fracasso como oportunidade de aprender para nossos filhos é fundamental para potencializar a sua autonomia.

5. Dedicação e persistência

Estudos de Carol Dweck, professora de psicologia da Stanford University e uma das principais investigadoras de referência internacional em educação, concluem que a melhor forma de aumentar a autonomia é reforçando a dedicação e o esforço de nossos filhos, e não tanto as capacidades inatas como a inteligência.

6. Aprender a longo prazo

Devemos compreender que o trabalho que os nossos filhos realizam durante o ano letivo como um processo não apenas para adquirir conhecimentos, mas sobretudo para adquirir habilidades de estudo. Como tudo na vida, para aprender a estudar é preciso treinar a mente: entender, sintetizar, memorizar, relacionar conceitos, autoavaliar, etc.

7. Manter uma rotina de aprendizagem

Os atletas de elite precisam treinar todos os dias para se prepararem para as suas competições e o mesmo vale para a mente humana, por isso é importante que as crianças dediquem parte do seu tempo à aprendizagem das rotinas, mesmo após o final do ano letivo. Dessa forma, estaremos ensinando-os a ter prazer em aprender e aumentaremos a sua capacidade de aprendizagem.

Além disso, nas escolas, a educação integral deve ser constituída tanto por atividades intelectuais como por atividades desportivas, uma vez que, com a volta às aulas presenciais, o bem-estar emocional é um dos pilares fundamentais.


Através do método Kumon, ajudamos cada criança de acordo com as suas necessidades para que sejam capazes de desenvolver todas as suas capacidades e aptidões intelectuais. Quer saber mais? Contacte o seu centro Kumon e experimente 15 dias grátis em qualquer um dos nossos programas.