Matemática

David Montalvo: «Com as matemática, cada operação é um reto estimulante»

Out 2019
David Montalvo: «Con as matemática, cada operação é um reto estimulante»
David Montalvo: «Com a matemática, cada operação é um reto estimulante».

Quando tinha 6 anos, já gostava da matemática e, para motivar a aprendizagem, os seus pais matricularam-no em Kumon Matemáticas no centro Kumon Viladecans – Centre (Espanha). Nesta entrevista conta-nos a sua opinião sobre o método Kumon.

Pregunta: Gostavas da matemática antes de começares o programa Kumon?
David:
Sim, gostava muito, por esse motivo comecei a fazer Kumon.

P: Que gostas mais da matemática?
D:
Cada operação a que te enfrentas é um reto. Algumas vezes, um problema é uma dor de cabeça, mas quando o resolves sozinho, sentes uma grande satisfação.

P: De todos os níveis do programa de Kumon Matemática, que conteúdos exigiram mais esforço? E quais te pareceram mais simples?
D:
Os mais complicados foram o L e o M, os dois últimos do bloco das funções matemáticas. Por outro lado, os mais simples foram os primeiros, do 3A até ao B.

P: Na Kumon pedimos implicação dos pais na educação dos filhos De que forma te ajudaram a familia e a tua orientadora ao longo de toda a sua trajectória em Kumon?
D:
transmitindo, confiança e muito apoio. Sempre estiveram presentes, em todos os momentos, bons e maus. Por um lado os meus pais e por outro as minhas orientadoras quando necessitei ajuda para acabar o programa. Sem eles não teria concluido.

P: Que dirias aos alunos que agora estão num ponto difícil do programa?
D:
Primeiro de tudo diria que o Kumon não é fácil, mas com força de vontade e regularidade podes conseguir. Um conselho para que todos possam chegar a ser concluintes/finalistas de Kumon é que nos momentos difíceis tens que procurar o apoio do orientador; ele vai ser o teu guia neste caminho.

P: Pensaste alguma vez em deixar de fazer Kumon? Porquê?
D:
Sim, muitas vezes, sobretudo nas férias e nos momentos difíceis como no nivel L e no M. Mas aí os meus país motivaram-me, ao não tirar a toalha, e as minhas professoras diziam-me que era um erro desistir nessa altura, tão próximo do final.

P: Quando disseste vou ser concluinte?
D:
Durante o M, vendo que só faltavam dois níveis para acabar todo o programa. Além do mais, a Kumon ajudou-me em outras matérias, sobretudo nas disciplinas relacionadas com os números, como a física, a química e a tecnología.

P: Que benefícios pensas ter ganho por teres terminado o programa completo? Que habilidades consideras ter desenvolvido aos passares por Kumon?
D:
Domínio total das matemáticas, as habilidades desenvolvidas, como a concentração e o autodidactismo, assim como a confiança em mim próprio e a capacidade de estudo.

P: Em que gostarias de trabalhar quando fores mais velho? Pensas que a tua experiência com Kumon te vai ajudar a consegui-lo?
D:
Gostaria de estudar engenharia de Telecomunicações e, graças à Kumon, sei que vou conseguir.

P: Recomendarias Kumon a outros alunos?
D:
Sim, é um bom método para melhorar em matemática e na concentração no momento de estudar. É algo que ajuda que os teus estudos não sejam um problema e que possas ser o que quiseres no futuro.


Entrevista com Montserrat Aracil, orientadora do centro Kumon Viladecans – Centre

Neste caminho ao longo do programa de Matemática, o David foi acompanhado por várias orientadoras de Kumon, já que começou no centro de Sant Boi. Depois de uma mudança a Viladecans, Montserrat Aracil registou o testemunho, e agora conta-nos a sua experiência.

Pregunta: Qual é  primeira memória que tens do David?
Montserrat:
Foi muito fácil trabalhar com ele. Era um aluno muito responsável e com as ideias muito claras, desde o primeiro momento manifestou vontade e o desejo de ser finalista/concluinte e de lutar até o conseguir.

P: Qual pensas que foi o momento mais duro para ele?
M:
Penso que o momento mais difícil foi realizar o nivel L; que coincidiu com um periodo de muito trabalho escolar e os conteúdos do nivel pareciam-lhe muito complicados, assim como tinha dificuldade em continuar com a rotina diária de Kumon.

P: Como conseguiram superar tudo isto?
M:
A maturidade e responsabilidade do David ajudaram muito. Juntos pactamos o ritmo de trabalho para que não suponha uma carga extrema para ele e o seu trabalho em Kumon não interferisse com as suas tarefas escolares. Isto é parte da individualização do método. Nesses momentos os seus pais também foram um grande apoio, já que o motivaram para conseguir alcançar essa meta, ser finalista/concluinte.

P: Como enfrentou as dúvidas e os problemas?
M:
Graças ao seu autodidactismo, o David superou muito bem as dúvdas. O seu livro de notas, onde ia anotando aqueles procedimentos que lhe pareciam importantes, e o livro de soluções foram o seu apoio perante as dúvidas.

P: Qual é o momento que recordas com maior carinho?
M:
Toda a trajectória do David connosco foi muito satisfatória, ver como o facto de ir superando os níveis o enchia de emoção. Antes de um teste ao final do nível, sempre tinha dúvidas, mas o momento de ver a nota final sempre era um passo mais para a sua meta. O momento de comunicar-lhe o resultado do test do O, o último em Kumon Matemática, foi muito emocionante.

P: Que aprendeste trabalhando com ele?
M:
Que com esforço podes conseguir tudo a que te proponhas. O David assim o fez e esta a dar uma lição muito importante aos seus companheiros, pois já sairam bastantes candidatos a ser os próximos concluintes depois de ver que alguém próximo a eles o conseguiram.

P: Que habilidades, destrezas ou atitudes são as que pensas que o levaram a converter-se em finalista/concluinte?
M:
A sua responsabilidade, organização, e a sua projeção de futuro ajudaram-no muito.

P: Que papel desempenhou a família?
M:
Um papel importantíssimo, pois desde o primeiro momento entenderam que os benefícios do método obtêm-se na sua plenitude quando os nossos alunos acabam os níveis. Assim foi com o David e com a sua irmã Maria. Também tenho que agradecer-lhes a confiança que depositaram em mim e no nosso método durante esse tempo. Foi e continua a ser um prazer trabalhar com a família Montalvo.

Queremos agradecer ao David e à Montserrat por partilhar a sua experiência na Kumon com todos os leitores deste blogue. Neste link podes solicitar uma entrevista con o orientador do teu centro Kumon mais próximo para estudar o caso individual dos teus filhos.